Quem vê os estudantes concentrados em seus cadernos dentro da sala de aula nem imagina que um importante aspecto do sucesso acadêmico não está ao alcance dos alunos. A escolha adequada da iluminação em ambientes de ensino tem um fator crucial no desenvolvimento do aprendizado. Se estabelecida incorretamente, ela pode provocar fadiga, desatenção, dificuldade de entendimento e, dependendo da situação, oferecer até riscos à saúde.

O alto desempenho e a capacidade de uma iluminação difusa, bem adequada ao ambiente de estudo, fez com que as lâmpadas tubulares fossem as mais indicadas para essa situação. A única novidade é que, no lugar das opções tradicionais que produzem a iluminação a partir de componentes químicos, as lâmpadas tubulares em LED são a nova tendência do mercado.

Por ser tão parecida com as tradicionais, apresentando um bulbo translúcido de aspecto leitoso, muitas pessoas ainda não sabem da existência das lâmpadas tubulares em LED. Mas a verdade é que elas não só existem, mas estão em constante evolução. As primeiras opções que chegaram ao mercado tinham apenas 50% da circunferência com produção de luz. Hoje, essa realidade mudou e hoje é fácil encontrar opção com o bulbo inteiriço de LED que promovem uma capacidade de iluminação equivalente às convencionais e contam com maior eficiência energética.

Diferenças aplicadas na prática

Já na instalação a diferença entre as duas tecnologias é nítida. Por não contar com elementos químicos, que necessitam de uma corrente controlada, as lâmpadas tubulares em LED não necessitam de um reator e são instaladas diretamente na corrente elétrica. Na maioria dos casos, a substituição da opção tradicional pelo LED não requer nem a troca da luminária.

A ausência de elementos químicos é um importante aspecto de segurança. Em caso de quebra, o diodo emissor de luz do LED é apenas um componente elétrico. Já as opções mais antigas promovem uma liberação de elementos tóxicos como chumbo ou mercúrio que, mesmo em pouca quantidade, podem colocar a saúde em risco.

Qualidade de iluminação

Na hora de escolher as melhores opções de lâmpadas para escolas e faculdades, o principal fator é a questão ergonômica, ou seja, proporcionar a condição ideal de desempenho do espaço sem causar qualquer tipo de desgaste ou fadiga ao usuário. Nesse quesito, as tubulares em LED não deixam a desejar. Com duas opções de temperaturas de cor, 4.100K e 6000K, as lâmpadas são desenvolvidas e certificadas para atingir todas as exigências do projeto luminotécnico, conforme Norma ABNT (NBR ISO/CIE 8995-1).

Com o acompanhamento de um especialista em projetos luminotécnicos, a aplicação das lâmpadas tubulares é ainda melhor. Caberá ao profissional avaliar os pontos de instalação, temperatura de cor, ofuscamento e o cálculo de eficiência energética.

Se comparada com as lâmpadas fluorescentes tubulares convencionais, as tubulares em LED atingem a mesma qualidade de iluminação com um consumo até 55% menor do que as convencionais, além de uma durabilidade de 25 mil horas.  Ou seja, em uma universidade que receba dois períodos de aula por dia, uma lâmpada tubular LED trabalharia cerca de 10 horas por dia durante os cinco dias da semana. A substituição só seria necessária após aproximadamente 10 anos. Tempo suficiente para que um aluno fizesse duas faculdades sob a mesma instalação.

Na hora de definir a troca da iluminação, não hesite em fazer um cálculo de payback com um projetista especializado. Ele buscará as melhores soluções do mercado para cada caso, fazendo com que a iluminação se torne uma verdadeira aliada no aprendizado e sucesso dos alunos.

Compartilhe

Compartilhe nas mídias sociais!